Entre Histórias

XX • Crítica

XX é uma antologia composta de quatro curtas de horror. A referência aos cromossomos femininos como título da obra deu-se por ser esta a primeira antologia de horror roteirizada, dirigida e protagonizada apenas por mulheres.

The Box é escrito e dirigido por Jovanka Vuckovic (responsável pelo interessante The Guest) e baseado no conto de Jack Ketchum. Uma mãe está voltando com seus dois filhos de uma tarde de passeios, na época do natal. No metrô a caminho de casa, Danny pergunta à um senhor sentado no banco ao seu lado o que tem na caixa que este segura, ao que ele lhe responde que é um presente. Apesar da bronca dada pela mãe para que não incomodasse o homem, Danny insiste pedindo para ver o que era. A reação do menino quando a caixa é aberta é de medo e desconforto. Não fala mais nada a partir de então e recusa-se a contar o que viu. O problema é que a partir deste dia, ele não se alimenta mais. Sua comidas favoritas são feitas mas ele apenas recusa dizendo não estar com fome. Cinco dias se passam e tudo começa a ficar mais estranho quando ao contar à Jenny (sua irmã) o que havia na caixa, esta passa a ter a mesma falta de apetite. O pai, desesperado diante da situação, insiste que Danny lhe conte o que está acontecendo e, ao saber, para também de se alimentar. O que haveria na caixa? E o que quer que fosse é o responsável pela não alimentação da família ou é tudo apenas uma coincidência?

Em sua estréia como diretora, Annie Clark (St. Vincent) se encarrega de The Birthday Party, o co-escrevendo com Roxanne Benjamin. É o dia do aniversário de 7 anos de Lucy. Ao acordar para arrumar os preparativos para a festa, a mãe é avisada pela babá que seu marido havia chegado na noite anterior para a comemoração. Duvidando da informação uma vez que havia acordado sozinha, ela decide ir até o escritório. O problema é que David cometeu suicídio ingerindo alguns remédios e ela encontra seu corpo. A partir deste momento, sua preocupação passa a ser encontrar uma forma de esconde-lo até que acabe a festa, evitando assim algum trauma para Lucy. E de certa maneira ela irá conseguir não só esconder sua morte como fazê-lo participar do aniversário da filha.

Don’t Fall é escrito e dirigido por Roxanne Benjamin. Quatro amigos decidem desviar de sua rota e acampar em um lugar desconhecido com uma linda paisagem. Em meio às rochas, eles encontram estranhos desenhos feitos muito provavelmente com sangue. Gretchen, que encostou nos desenhos, começa a apresentar um estranho ferimento na mão. Apesar disso, retornam para o trailer e permanecem no local.

Karyn Kusama, que dirigiu os excelentes Jennifer’s Body e The Invitation, é a roteirista e diretora do curta que fecha a antologia: Her Only Living Son. Um dia antes do aniversário de 18 anos de Andy, seu único filho vivo, Cora é chamada à escola do garoto após ele ter arrancado as unhas da mão de uma menina. Aliado à isso, Cora começa a notar alguns comportamentos violentos do filho com animais e algumas mudanças corporais bastante inusitadas.

E por fim Sofia Carrillo, diretora e roteirista do excelente Black Dollé a responsável pelas vinhetas que, contando uma história independente, interligam os curtas e ajudam a estabelecer a atmosfera da antologia.

Atmosfera esta que difere entre um curta e outro. O primeiro é um terror mais psicológico, trazendo uma sensação de incômodo. O segundo tem um alívio cômico, apesar de ser uma história bizarra. O terceiro pende para o gore e o último retoma o tom psicológico do primeiro.

Com relação à direção alguns pontos me chamaram positivamente a atenção. Os takes da mesa de refeições em The Box que ajudam à aumentar o nível de angústia do espectador conforme os dias vão passando. E o uso de cores extremamente saturadas e berrantes em The Bhirtday Party, além da própria estranheza causada pelas fantasias e decoração da casa e pela excentricidade da babá, que passam a sensação de que tudo lá está, de alguma forma, fora de lugar. E o uso em Her Only Living Son, trazendo um tom onírico à narrativa que pende para o sobrenatural.

No tocante ao enredo, três dos curtas propõem-se a ser um olhar feminino (e sinistro) acerca da maternidade enquanto o outro foca na relação de amizade entre mulheres. Um ponto interessante é que tanto o curta que abre a antologia quanto o que a encerra, trazem uma caixa que é parte importante da história contada. Ainda falando de Her Only Living Son, achei bastante acertada a decisão de contar parte da história a partir dos pesadelos de Cora, trazendo um tom onírico à narrativa que pende para o sobrenatural que lembra, pela premissa, O Bebê de Rosemary.

No fim, não é uma antologia excelente visto que Don’t Fall é o ponto fraco, trazendo uma história bastante previsível e já bem explorada sem nenhum elemento novo; mas vale ser assistida pelos outros três curtas, que são excelentes. E também pela história contada por Carrillo que, apesar de sombria, é extremamente bonita e tocante.


Título: XX
Diretor(a): Jovanka Vuckovic, Annie Clark, Roxanne Benjamin e Karyn Kusama
Roteirista: Jovanka Vuckovic, Annie Clark, Roxanne Benjamin e Karyn Kusama
Elenco: Natalie Brown, Jonathan Watton, Melanie Lynskey, Lindsay Burdge, Sheila Vand , mais
Gênero: terror sobrenatural
País(es) de origem: Canadá e EUA
Ano de produção: 2017
Ano de lançamento: 2017
Duração: 1h20min
Classificação: 16 anos
Adicione: Filmow
* disponível na Netflix


Entre Nós • CRÍTICA

COMENTE PELO FACEBOOK

COMENTE PELO BLOG